Ignotus Rede Social

    

GOOGLE SITE TRANSLATOR

Registre-se em 1 minuto!

LANÇAMENTO: Tenha Autoconhecimento e Dinheiro no Bolso!

PUBLICIDADE

Últimas atividades

Posts no blog por Edilza
1 hora atrás
Rita De Cássia Ribeiro da Silva curtiu a postagem no blog LUZ DOURADA de Edilza
10 horas atrás
Posts no blog por Edilza
ontem
MARGARIDA MARIA MADRUGA deixou um comentário para Ana Cristina do Prado
"BEM VINDA Ana Cristina! Enfim você chegou! Respire fundo. Sorria. Deixe suas preocupações de lado. Entre e sinta-se em casa."
ontem
MARGARIDA MARIA MADRUGA deixou um comentário para Wagner Pires
"BEM VINDO WAGNER! Enfim você chegou! Respire fundo. Sorria. Deixe suas preocupações de lado. Entre e sinta-se em casa."
ontem
Ícone do perfilAna Cristina do Prado e Wagner Pires entraram em Ignotus Rede Social
ontem
Rita De Cássia Ribeiro da Silva curtiram o perfil de Rita De Cássia Ribeiro da Silva
quinta-feira
Rita De Cássia Ribeiro da Silva curtiu a postagem no blog ALINHAMENTO GALÁCTICO de Edilza
quinta-feira
Valdemar Frederico Schroer curtiu a postagem no blog ALINHAMENTO GALÁCTICO de Edilza
quarta-feira
Zuleide salles curtiu a postagem no blog ALINHAMENTO GALÁCTICO de Edilza
quarta-feira
Veridiana curtiu a postagem no blog ALINHAMENTO GALÁCTICO de Edilza
quarta-feira
sara venceslau curtiu a postagem no blog ALINHAMENTO GALÁCTICO de Edilza
quarta-feira

Mensagens de blog

Curta Nossa Página no Facebook

Maria, a Judia - Ano 273 a.C.

Fonte: VASCONIA, Giovanni di. Maria a Judia. Gravura constante manuscrito Fiore de' Fiori (Flor das Flores), depositado na Biblioteca Nazionale Victor Emanuele em Nápoles, e que representa uma das sete visões de Maria, a Profetisa à procura da Pedra Filosofal.

Maria, a Judia ou Maria, a Profetisa, ou Mirian, irmã de Moisés, é uma antiga filósofa grega e famosa alquimista que viveu no Egipto por volta do ano 273 a.C..

Mirian terá sido uma das parteiras que se recusou a cumprir as ordens do faraó (deitar ao Nilo todos os meninos hebreus recém-nascidos). Maria, a Judia ou Maria, a Profetisa ou Mirian, meia-irmã de Moisés é referida na Torah (תּוֹרָה) ; aliás, é a primeira mulher referida na Torah como profetisa (ha-Naviá ) e é-lhe atribuído um papel fundamental na sobrevivência do povo de Israel, no Egipro, tendo participado também na travessia do mar vermelho.


Alguns a situam na época de Aristóteles (384–322 a.C.), uma vez que a concepção aristotélica dos quatro elementos formadores do mundo (o fogo, o ar, a terra e a água) condiz bastante com as idéias alquimistas de Maria, como o axioma de Maria:


«o Um torna-se Dois, o Dois torna-se Três, e do terceiro nasce o Um como Quatro».

"O Um torna-se dois, dois torna-se três, e por meio do terceiro e quarto alcança a unidade; assim dois são apenas um...Inverta a natureza e encontrarás o que procuras...Una o macho e a fêmea, e encontrarás o que é procurado...- Maria a judia, 300 d.C."


Segundo Aristóteles, o enxofre era considerado a expressão do elemento fogo, e Maria o tomou como base para os principais processos que estudou.


Ela menciona o enxofre em frases sempre misteriosas, como:

«uma pedra que não é pedra»

«tão comum que ninguém a consegue identificar».



Maria conta que Deus lhe revelou uma maneira de calcinar cobre com enxofre para produzir ouro. Esse enxofre era obtido do disulfeto de arsênico, que é achado em minas de ouro. Talvez tenha sido essa a origem da lenda da transformação de metais menos nobres em ouro.

Dentre as invenções de Maria estão o kerotakis, uma espécie de barril fechado e o banho de vapor : para um aquecimento lento e gradual dos experimentos, em vez de manipular as substâncias diretamente no fogo, ela descobriu que era possível controlar melhor a temperatura se fosse por meio da água - que até hoje chamamos de banho-maria.



A descoberta do ácido clorídrico é atribuída a essa mulher.




Para além disso dois equipamentos de destilação (alambique), com duas ou três saídas para destilados — o dibikos e o tribikos — e um aparelho para sublimação, sendo-lhe ainda atribuída a descoberta do ácido clorídrico. A maior parte das suas escrituras foram conservadas por Zósimos de Panópolis (300 d.C.).






Para se ter uma idéia da tremenda antiguidade de Maria basta dizer que o vetustísimo químico Zósimo de Panápolis (sec IV) a cita sempre no passado, venerando-a entre os que ele chama "sábios antigos", um exclusivo grupo no qual figuram Demócrito, Moisés, Ostanes, Hermes, Isis, Chymes, Agathodaemon, Pibechios, Iamblichus... nome místico e pseudo epigráficos que buscam dar uma maior relevancia ao conteúdo dos textos que encabeçam.

Exibições: 114

Respostas a este tópico

Em resumo...,

Quem eliminar seus defeitos e transmutar suas energias, e essas se aprende no astral superior... se torna um grande alquimista mesmo hoje em dia.

de coração

RSS

© 2017   Criado por Edson Luiz Pocahi.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço