GOOGLE SITE TRANSLATOR

Registre-se em 1 minuto!

PUBLICIDADE

Últimas atividades

Posts no blog por Edite Spiess Stauffer

AS AGRESSÕES QUE IGNORAMOS

   Muitas vezes, somos vítimas de agressões que nem sempre nos damos conta e que com muita freqüência acontecem entre pais e…Ver mais...
2 horas atrás
Edite Spiess Stauffer deixou um comentário para Tiago
"Obrigada Tiago, por ter curtido a minha postagem "O luto"Seja muito bem vindo!Encante-nos com suas postagem também.Paz e Luz!"
2 horas atrás
Tânia curtiu a postagem no blog Mensagens de Sergio Mello 90 de Edson Luiz Pocahi
ontem
Tânia curtiu a postagem no blog Mensagens de Sergio Mello 90 de Edson Luiz Pocahi
ontem
tinajair etinajair curtiu a postagem no blog Mensagens de Sergio Mello 90 de Edson Luiz Pocahi
ontem
tinajair etinajair curtiram a discussão Diante da Lei de Cláudia Helena Berg
ontem
Edson Luiz Pocahi curtiu a postagem no blog Mensagens de Sergio Mello 90 de Edson Luiz Pocahi
ontem
Posts no blog por Edson Luiz Pocahi
ontem
Valdemar Frederico Schroer curtiram a discussão Diante da Lei de Cláudia Helena Berg
ontem
Edson Luiz Pocahi curtiram a discussão Diante da Lei de Cláudia Helena Berg
ontem
Cláudia Helena Berg curtiu a postagem no blog Sente energias muito fortes e se pergunta qual a razão de se sentir assim? de Edson Luiz Pocahi
ontem
Cláudia Helena Berg curtiu a postagem no blog Mensagens de Sergio Mello 88 de Edson Luiz Pocahi
ontem

Mensagens de blog

Curta Nossa Página no Facebook

Informação

Filosofia processual

A filosofia processual é uma filosofia prática que permite o desenvolvimento pessoal. Para a filosofia processual , o mais importante é abolir o dualismo e as oposições rígidas: sujeito/objeto, mente/matéria , bem/mal.

Local: São Paulo/SP
Membros: 3
Última atividade: 21 Abr

Fórum de discussão

Este grupo ainda não possui nenhum tópico.

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de Filosofia processual para adicionar comentários!

Comentário de Pedro Ferrinho em 27 outubro 2014 às 9:33

Comportamento do Ser enquanto humano

 

Quem pode querer tudo, decerto estará ciente de que tudo é muita coisa?

Mas o que significa tudo?

A cidade, o País, o Continente, o Planeta, a Galáxia, o Universo?

De que fazem parte, as casas, os terrenos, as arvores, as fábricas, os hotéis, as empresas, os carros, os barcos, os comboios, os animais, as pessoas …

Mas quem são as pessoas? Que direitos têm? De onde vieram? E para que vieram? Quando irão partir?

Pessoas, são todos os seres enquanto humanos! Que nascem, crescem, vivem e morrerem!

Que tentam entender-se enquanto vivem, que se questionam ou, tão-somente, aceitam viver a vida conforme a entendem, mergulhando nos sonhos que lhes alimentam a mente, o espírito ou a alma, mas que decerto desconhecem ser aí que deveriam permanecer, conectados com o universo, a galáxia, o planeta, o continente, o país, a cidade e as pessoas … em lugar de se ligarem á posse dos objectos, das terras, das casas, dos carros, dos barcos e do dinheiro, dinheiro e mais dinheiro que no seu entender permite adquirir tudo, conforto, bem-estar, saúde e até, imaginem, a felicidade.

Enquadrando as pessoas, existe aquilo a que se chama sociedade, cultura, religiões que em lugar de permitir uma evolução do ser enquanto humano o inibe na sua capacidade infindável de crescer, de se ligar ao criador, ao universo ao cosmos, delimitando e balizando os seus sonhos e pensamentos por não se enquadrarem nos parâmetros pré-definidos por essa mesma sociedade, cultura ou religião ao ponto de, considerarem e rotularem as pessoas que não se enquadram e tentam ligar-se ao universo, de doentes orgânicos, como epilépticos ou esquizofrénicos paranóicos, lunáticos etc.

Esta dita, sociedade, cultura ou religião, engendrou uma forma prática a que chama de política que encontra sempre razão ou justificação para tudo, tudo tem fundamento na pseudo ciência, que foi estudada e desenvolvida para todos os comportamentos considerados racionais e enquanto tal, critica, adverte, pune, castiga, priva da liberdade, todo aquele que não sendo tão racional, da sua cor ideológica, credo ou entendimento, sofra na pele até que possa entender e aceitar a dita política, como correcta, suprema e universal, que compara padrões de comportamento, aptidões e atitudes e que segundo ela, deveriam ser iguais para todo o ser enquanto humano, salvo raras situações que aproveitam somente, a quem foi investido pelo poder da dita política, relegando para outro plano tudo e todos que não compartilhem dessa mesma politica enquanto seres viventes neste plano terreno e a quem retiram o que foi atribuído pelo Criador, que desprezam abominam e desconhecem totalmente.

Quando confrontada com a morte, verifica-se que essa mesma politica e os seus acólitos, omnipotentes e presunçosos, abdica totalmente dos seus pressupostos de entendimento, dos seus pseudo direitos e obrigações sobre os seres enquanto humanos então considerados contribuintes e os relega para si próprios, tal como o já vem fazendo na doença e na adversidade desses seres pagantes, apesar de fazerem parte da dita sociedade, cultura ou religião, controlada pela pseudo política apregoada como fraterna e humanizada e a favor dos desfavorecidos.

È preciso evoluir, individualmente, crescer como ser humano, entender-se, saber quem é, qual a missão que trás consigo e só depois deveria ser possível pensar em política, em sociedade, cultura ou religião.

 

Pedro Ferrinho, 05/09/2010

 

Membros (3)

 
 
 

© 2019   Criado por Edson Luiz Pocahi.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço