Ignotus Rede Social

    

GOOGLE SITE TRANSLATOR

Registre-se em 1 minuto!

LANÇAMENTO: Tenha Autoconhecimento e Dinheiro no Bolso!

PUBLICIDADE

Mensagens de blog

Curta Nossa Página no Facebook

Anjos - Origem dos Anjos - Natureza dos Anjos - Funções dos Anjos

Anjos -  Angeologia -  Origem dos Anjos - Natureza dos Anjos - Funções dos Anjos

Anjos

Anjos. Este é o tema que o Ignotus traz até você neste momento. Temos o orgulho de disponibilizar para você, um dos maiores conteúdos sobre anjos da web na língua portuguesa. Nossa pesquisa sobre os Anjos vai atrás das origens dos Anjos nas civilizações antigas, ou seja, em que momento surgem registros sobre os anjos. Estudamos também as funções dos anjos e sua natureza. Iremos identificar nomes de anjos, além de estudar a hierarquia dos anjos no céu. Vamos estudar suas intervenções no nosso planeta, sempre nos baseando em registros históricos e livros sagrados e/ou antigos. Vamos saber o que significa "gênios da humanidade" como contatar o seu anjo da guarda, e também sobre a guerra no céu, que originou os anjos caídos. Também traremos para nossa pesquisa, uma seção de orações dedicadas aos anjos.

Além desta página, completam a nosso conteúdo sobre anjos as páginas:

Hierarquia dos Anjos

Anjos Nomes

Oração dos Anjos

Anjos Caídos

Contatando o seu anjo

Calendário dos Anjos

Gênios da humanidade

Venha com o Ignotus, mergulhe nesta pesquisa sobre os anjos, vamos aprender juntos um pouco mais. Veremos agora abaixo os seguintes assuntos: origem dos anjos, significado da palavra anjo, sobre os anjos, testemunhos à origem e existência dos anjos, natureza dos anjos e funções dos anjos.

HISTÓRIA: A ORIGEM DOS ANJOS – Interpretações, Significados, Citações e mais

Arqueólogos acreditam que a mais antiga representação de um anjo foi encontrada na cidade de Ur, no vale de Eufrates, a cerca de 230 Km da Babilônia. O local foi colonizado por volta de 4000 a.C., floresceu em torno de 2500 a.C. e continuou por mais mil e quinhentos anos. A imagem retratada numa estela (pedra destinada a ter inscrições ou esculturas), é de uma figura alada descendo de um dos sete céus da crença suméria para despejar a água da vida de uma jarra transbordante dentro da taça do rei.

Não encontramos imagem desta primeira estela, porém localizamos uma mais “nova”, onde um anjo aparece ao Rei sumério Ur-Nammu, fundador da terceira dinastia de Ur (2112 à 2095 AC):

Já os primeiros textos/descrições sobre anjos aparecem no Antigo Testamento. Tobias e Daniel são uns dos livros mais ricos. Neles encontramos anjos que comunicam ao homem mensagens ou revelações da parte de Deus. Estes anjos são sempre criaturas de Deus, subordinados a Ele. Não são seres divinos, mesmo sendo seres celestiais. O monoteísmo de Israel é absoluto nesta época. Os anjos são enviados, pois, aos homens como mensageiros (Dan 14,33), os ajudam e protegem (Dan 3,49; 2 Mac 11,6), apresentam a Deus as orações dos homens e intercedem por eles (Tob 12,15). Cada pessoa tem um anjo da guarda (Dan 10,13.20). Disse o Senhor Deus no Antigo Testamento: "Vou enviar um anjo diante de ti, para que te guarde pelo caminho (...) Toma cuidado na sua presença e escuta a sua voz (...)" (Ex 23,20-22).

No Antigo Testamento conhecemos o nome de três anjos: Rafael, no livro de Tobias, e Miguel e Gabriel, no livro de Daniel. É preciso indicar que estes três nomes podem traduzir-se e eles nos dão uma pista sobre seu significado. Rafael significa "Deus cura", e essa é a missão que o anjo desempenha no livro de Tobias: cura o ancião Tobias de sua cegueira e livra Sara das armadilhas do demônio Asmodeus. Por sua intervenção, Deus premia com a felicidade aquela família de justos sobre quem então havia caído em desgraça. Miguel significa "quem como Deus?" É o anjo protetor de Israel e comanda os exércitos celestiais em sua luta contra as forças do mal. Combate contra a opressão do poder político absoluto que intenta ocupar o lugar de Deus. Gabriel, que significa "força de Deus", é o anjo que revela a Daniel o momento em que terá lugar o fim do mal e o começo da justiça perfeita que só a força de Deus fará possível.

Seus próprios nomes, que sempre inclui Deus, indica o que são. Nos escritos intertestamentários se multiplicará a presença e a atuação dos anjos.

Outras citações sobre os anjos no Antigo Testamento:

E tendo expulsado o homem pôs [Javé] diante do jardim do Éden querubins, e a chama da espada vibrante, para guardar o caminho da Árvore da Vida.
Gênesis 3, 24

Chegaram os dois anjos a Sodoma, quando Lot estava assentado às portas da cidade. E ele, tendo-os visto, levantou-se, e foi ao seu encontro, e prostrou-se por terra, e disse: "Vinde, vos peço, senhores, para casa de vosso servo, e ficai nela; lavai os vossos pés, e pela manhã, continuareis o vosso caminho. E eles disseram: "Não, nós ficaremos na praça." (...)
Gênesis 19,1

Eis que eu enviarei o meu anjo, que vá adiante de ti, e te guarde pelo caminho, e te introduza no lugar que preparei. Respeita-o, houve a sua voz, e vê que não o desprezes; porque ele não te perdoará, se pecares, e o meu nome está nele. Se ouvires a sua voz, e fizeres tudo o que te digo, eu serei inimigo dos teus inimigos, e afligirei os que te afligem.
Êxodo 23, 20-22

Anjos do Senhor, bendizei o Senhor; louvai-o e exaltai-o por todos os séculos.
Daniel 3, 58

*****

O mundo invisível é constantemente descrito na bíblia como algo constantemente presente em nosso meio, não como uma realidade distante, mas como algo presente entre nós. Os anjos não estão apenas ocasionalmente presentes na Bíblia; eles estão constantemente presentes! O termo "anjo" ocorre mais de 250 vezes nas páginas da revelação eterna de Deus das Escrituras, não apenas descrevendo o que ele têm feito mas também mostrando as coisas que eles fazem em nosso dia-a-dia, além do que têm feito no passado.

Os anjos não existem desde a eternidade, eles foram criados por Deus no momento de sua criação ( Ne.9:6 - Sl.148:2; Cl.1:16 ). A bíblia não indica com precisão em que parte foram criados, mas podemos entender que isso deve ter acontecido imediatamente após Ter criado os céus e antes de Ter criado a terra, segundo podemos ver em Jó 38:4-7 – Gn.1:1; 2:1. Não podemos também definir número, mas sabemos que um "exercito" compreende grande quantidade, uma 1"legião" compreende um número grandioso ( Dn.7:10; Mt.26:53; Hb.12:22 ). Deus certamente criou todos de uma só vez, pois os anjos não tem capacidade de propagar-se como o homem ( Mt.22:30 ).

*****

A PALAVRA “ANJO”:

A palavra Anjo é derivada do latim, angelus, e do grego, angelos, com o significado de mensageiro.

A palavra Anjo, no sentido que empregamos atualmente, era chamado de Daimones pelos gregos (gênio, anjo, ser sobrenatural), que foi adequadamente corrompido para " demônios "pelos autores canônicos.

Segundo os gregos, eles eram o que se podia chamar de "espíritos" da condição humana, isto é, personificações de vários estados de existência, emoções, ações e moralidade. Os Daimones de moralidade foram divididos em Agathoi (o Bem, Virtudes) e KaKoi (o Ruim, Vícios).

Foram classificados Daimones de ação humana e condições semelhantes como Agathos (Bom, Favoráveis) ou Kakos (Ruim, Prejudicial).

A palavra hebraica para Anjo é Malakl, que significa "Mensageiro".

EXPRESSÕES USADAS PARA SE REFERIR AOS ANJOS:

  • Filhos de Elohim{Deus}( Jó.1:6 e 2:1; Sl.29:1; 89:6).
  • Santos ( Sl.89:5-7 ).
  • Vigias ( Dn.4:13, 17, 23 ).
  • Espíritos ( Hb.1:14 ).
  • Principados, poderes, tronos, dominações e autoridades ( Cl.1:16; Rm.:38; I Co.15:24; Ef.6:12; Cl.2:15 ).
  • Arcanjos ( I Ts.4:16 e Jd.9 ).

COLETIVOS USADOS PARA OS ANJOS:

  • Congregação/ assembleia ( Sl.89:6,7 )
  • Hostes/ Senhor das hostes ( Lc.2:13; Ef.6:12; Hb.12:22 )

 

SOBRE OS ANJOS...

Anjos são os seres intermediários entre Deus e a humanidade. Eles são definidos por sua função de proclamação de mensagem, embora este papel não compreenda todas as suas atividades. Originários do Zoroastrismo, eles são particularmente encontrados ( embora não exclusivamente) na família ocidental de religiões: Judaísmo, Cristianismo e Islamismo, em que Deus é concebido como um ser tão elevado que não intervém diretamente no mundo. Os anjos são constantemente vistos entregando mensagens aos mortais ou anunciando de outras maneiras a vontade de Deus. Muitas religiões contém noções de anjos da guarda, que são anjos com a função de vigiar e proteger os indivíduos.

Um contraste entre a angelologia tradicional e contemporânea é que o foco da doutrina mais tradicional sobre os anjos estava na atividade de Deus por meio de seus anjos, enquanto, no período contemporâneo, Deus quase parece ter sido ocultado por seus anjos. Vamos, por contraste, examinar uma história de milagre mais tradicional, o resgate do apóstolo Pedro por um anjo no livro de Atos dos Apóstolos.

A base desta história é a perseguição da Igreja cristã primitiva na Palestina. O rei Herodes ( neto de Herodes, o Grande), que ocupava sua posição indicado por Roma, executou Tiago, o irmão de João, e aprisionou Pedro com a intenção de executá-lo logo após a Festa dos Pães Asmos. Ciente do destino que aguardava Pedro, a comunidade dos cristãos orou por sua libertação :

" Pedro estava guardado na prisão; mas a igreja orava com insistência a Deus por ele. Ora, quando Herodes estava para apresentá-lo, nessa mesma noite estava Pedro dormindo entre dois soldados, acorrentado com duas cadeias e as sentinelas diante da porta guardavam a prisão. E eis que sobreveio um anjo do Senhor, e uma luz resplandeceu na prisão; e ele, tocando no lado de Pedro, o despertou, dizendo: Levanta-te depressa.

E caíram-lhe das mãos os cadeados". ( Atos 12:5-7)

O primeiro ponto a ser observado é que o Deus cristão responde à oração. Neste caso, ele envia um anjo para responder às orações da comunidade cristã. Isto confere com o conhecimento hebraico tradicional de uma divindade real que envia anjos da corte dos céus para entregar suas mensagens ao seu povo. O anjo instrui Pedro a se vestir e segui-lo para fora da prisão. Pedro,meio sonolento, pensa que está sonhando.

" Depois de terem passado a primeira e a segunda sentinela, chegaram à porta de ferro, que dá para a cidade, a qual se lhes abriu por si mesma; e tendo saído, passaram uma rua, e logo o anjo se apartou dele". ( Atos 12:10)

Os anjos no sentido próprio surgiram inicialmente no Zoroastrismo, o primeiro monoteísmo verdadeiro.

De significado decisivo na visão dos últimos desenvolvimentos nas religiões irmãs do Judaísmo, Cristianismo e Islamismo, foi a doutrina de Zoroastro de uma luta contínua entre o bem e o mal- uma visão dualista do mundo- que incluía a guerra entre os anjos do bem e do mal.

Acredita-se que esta grande luta aconteceu no segundo dia da Criação. Deus criou todos os anjos com livre arbítrio para escolher entre o bem e o mal. Além disso, acredita-se que alguns foram fortalecidos com a Graça de seguir a Deus, enquanto a outra facção, igualmente forte, teve maior inclinação para ocupações menos nobres. Quando este grupo pecou, foi deflagrada uma guerra, com o arcanjo Miguel no comando dos bons anjos e Lúcifer como o líder das legiões das trevas.

O Monte São Miguel na costa da Normandia é o monumento eterno ao líder vitorioso das hostes celestiais na guerra contra o anjo rebelde.

Quando Lúcifer deixou o céu, foi dito que levasse consigo um terço dos habitantes do celestiais. Segundo Orígenes, havia também alguns "anjos duvidosos" que não estavam certos da posição a tomar, se deviam ficar do lado de Deus ou de Lúcifer.

Alguns creem que foi dessas criaturas hesitantes e irresolutas que se originaram os humanos. Na literatura, a história mais significativa sobre a Guerra no Céu pode ser encontrada na obra "O Paraíso Perdido de John Milton", em que um Satã arrogante coloca anjos rebeldes contra o fiel que defende o Monte de Deus no céu. Ao ser expulso do céu, Satã corrompe os primeiros humanos como revanche.

Os hebreus antigos não tinham postulado uma divindade malígna ou diabo, oposta a Jeová. No livro de Jó, por exemplo, Satanás é o membro da corte celestial cujo papel parece ser o de advogado de acusação, em vez de inimigo de Deus. Estes escritos extrabíblicos explicavam o mal em termos da revolta e/ou desobediência dos anjos de Deus.

Em uma dessas histórias, Satanás declarou-se igual a Deus e liderou uma rebelião de anjos contra a ordem celestial. Derrotado, ele e seus seguidores foram expulsos do céu, e subsequentemente continuaram a guerrear contra Deus, tentando arruinar a Terra, a criação de Deus.

Uma narrativa alternativa, bem menos conhecida e preservada no livro apócrito de Enoch, é que um grupo de anjos desejou ardentemente possuir fêmeas mortais; depois de deixarem sua morada celestial, caíram ao ter relações sexuais com elas.

Além da noção de uma batalha espiritual contínua entre o bem e o mal, o Judaísmo também adotou a idéia de um juízo final e ressurreição dos mortos no final dos tempos- um tempo em que a justiça finalmente triunfaria. Este final feliz seria precedido por uma batalha final em que os anjos de Deus venceriam Satanás e seus anjos caídos de uma vez por todas.

Além da Bíblia hebraica, diversos textos importantes da literatura religiosa judaica desenvolveram ainda noções sobre anjos. O mais importante é o Talmude.Os rabinos talmúdicos simultaneamente reconheciam inovações pós-bíblica, como a divisão entre anjos de paz e anjos do mal.

A angelologia cristã medieval moveu-se em duas direções. A primeira é caracterizada por um fascínio com as personalidades de figuras angélicas específicas.

Escritos como os Livros de Enoch, o Testamento de Abraão e o Apocalipse de Elias descrevem as funções dos anjos chamados Uriel, Raguel, Sariel,Jeremiel e outros que prestam serviços com Gabriel, Miguel e Rafael.

Escritos cristãos não-canônicos, especialmente os textos de Nag Hammadi, continuam e estendem-se sobre esta tendência.

A segunda tradição da angelologia medieval é principalmente filosófica, focalizando aspectos como a corporeidade ou a não- corporeidade dos anjos e a ordem exata da hierarquia dos anjos.

Os anjos são mencionados frequentemente no livro santo islâmico, o Alcorão.

Para descobrir seres paralelos em outras religiões, os autores contemporâneos geralmente mencionam certos espíritos e semideuses hindus/budistas, como os devas, apsaras e gandharvas, bem como divindades mensageiras do panteão grego ou romano clássico, como Eros, Hermes e Nice. Estas últimas deidades são particularmente apropriadas para comparação, pois contribuíram iconograficamente para os anjos cristãos.

Outra classe de seres que convida à comparação são as fadas. Fadas são um tipo de espírito da natureza que, sob diferentes nomes e disfarces, são encontradas em todas as partes do mundo.

No Ocidente, os anjos iniciaram um declínio gradual em importância com o alvorecer da ciência, no início da era moderna. As ciências físicas sufocaram a crença na realidade concreta de céu, inferno, anjos e demônios. A única tendência importante que prevaleceu foi o surgimento da psicologia de profundidade, que deu a essas entidades nova plausibilidade como fenômenos mentais.

A noção de anjos como seres reais, literais, voltou à moda dentro de duas subculturas distintas: o Protestantismo evangélico moderno e a subcultura metafísica contemporânea da Nova Era.

Curiosidade: De acordo com São Bartolomeu, os anjos são constantemente acompanhados por uma fragância prolongada no ar, como as flores ou o pinho.

TESTEMUNHOS À ORIGEM E EXISTÊNCIA DOS ANJOS:

  • Cristo comprovou a existência dos anjos ( Jo.1:51 ).
  • O Apóstolo Paulo também testemunhou ( Gl.1:8 ).
  • O próprio Satanás falou dos anjos ( Mat.4:6 ).
  • O Apóstolo João falou mais de 60 vezes no livro de Apc. ( Apc.1:1 ).

  • Santa Francisca Romana: dama romana da mais ilustre família, queria ser religiosa mas foi obrigada por seus pais a se casar, tendo procurado santificar-se no estado matrimonial. Desse casamento nasceram vários filhos. Um deles, João Evangelista, de extrema piedade, dotado com o dom da profecia, faleceu santamente aos nove anos. Um ano depois de sua morte, apareceu a Francisca, resplandecente de luz, acompanhado por um jovem ainda mais brilhante. Fez conhecer a mãe a glória que gozava no Céu; e lhe comunicou que viria buscar sua irmã Inês, de cinco anos, para colocá-la entre os Anjos. E que, por ordem de Deus, deixaria aquele anjo para — junto com seu próprio Anjo da Guarda — assisti-la no que lhe restava de vida terrena. Era um anjo de categoria superior, um Arcanjo. A partir de então, Santa Francisca via constantemente esse arcanjo que, segundo ela, brilhava mais que o sol, de maneira que não conseguia olhar para ele. Se Francisca deixava escapar alguma palavra desnecessária, ou acaso se preocupava demasiadamente com os problemas domésticos, o anjo desaparecia, ficando invisível até que ela se acalmasse de novo. Ele, com suas luzes, a auxiliava muitas vezes, defendendo-a contra os ataques do demônio, que constantemente a assaltava.
  • Santa Mariana de Jesus, conhecida como a Açucena de Quito, ainda criança, depois do falecimento do pai, a mãe foi para uma casa de campo levando-a abraçada, montada num cavalo. Ao passar perto de um rio de forte correnteza, o cavalo tropeçou e a criança caiu dos braços da mãe... No mesmo instante, a menina predestinada foi erguida no ar por seu anjo da guarda, até que a mãe a pegasse de novo.
  • Durante a consagração do Papa Gregório XV (1621), uma terrível peste estava devastando Roma. São Gregório organizou seu povo em torno de uma grande procissão que estava encabeçada por uma pintura da "Virgem Gloriosa" (obra atribuída a São Lucas Apóstolo). Estando a procissão em marcha, uma densa nuvem de ar fétido se deteve ante a pintura. Os presentes escutaram, então, um coro angélico cantar com alegria. "Regina Coeli, laetare, alleluja". O Papa São Gregório relatou logo a visão que teve de um grande anjo parado sobre o castelo, perto dali. Desde esse dia os romanos se referem a ele como Sant'Angelo em comemoração do desaparecimento da peste em Roma. São Gregório morreu em 8 de julho de 1623. 

Anjos, então, foram comprovados pelos escritores da Bíblia e pelo próprio Jesus Cristo, como sendo reais. Apesar de toda confusão de todos os tempos, não podemos negligenciar esta grande doutrina – Angelologia.

 

O PROPÓSITO DA ORIGEM DOS ANJOS:

  • Os anjos foram criados para darem glória , honra e ações de graça a Deus.
  • Os anjos foram criados para adorarem a Cristo ( Hb.1:6 )
  • Foram criados para cumprirem os propósitos de Deus:
  • O ARCANJO: Proteção de Israel( Dn.12:1 ), Luta contra Satanás( Judas 9; Apc.12:7 ), Anuncia a Vinda de Cristo( I Tess.4:16 ).
  • OS QUERUBINS guardam o trono de Deus ( Ez.10:1-4 ).
  • OS SERAFINS se preocupam com a adoração a Deus perante o Seu Santo Trono ( Is.6:2-7 )
  • AS DIFERENTES ORDENS de anjos, assistem a Deus em sua obra Soberana ( Col.1:16 e 2:10; Ef.1:21 e 3:10 ).

A NATUREZA DOS ANJOS:

Segundo a Bíblia os anjos são espíritos. Porque diferentemente dos homens, não são limitados às condições físicas: 

Fazes a teus anjos e a teus ministros, labaredas de fogo” (Sl 104.4). 

Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?” (Hb 1.14).

Em Lucas 24.37-39, Jesus disse: “... um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho”. Diante dessa declaração de Jesus podemos ter certeza que os anjos são destituídos de corpo físico. Apesar de serem espíritos, ou seja, não possuem um corpo físico, são capazes de assumir uma aparência humana, a fim de tornarem sua presença visível aos homens  (Gn 19.1-3; Mc 16.5):

E vieram os dois anjos a Sodoma à tarde, e estava Ló assentado à porta de Sodoma; e vendo-os Ló, levantou-se ao seu encontro e inclinou-se com o rosto à terra”.

E, entrando no sepulcro, viram um jovem assentado à direita, vestido de uma roupa comprida, branca; e ficaram espantadas” (Mc 16.5).

Outras características dos anjos é que aparecem e desaparecem à vontade e movimentam-se com uma rapidez inconcebível. São imortais, poderosos, possuidores de grande inteligência e sabedoria. 

Em conformidade com alguns textos bíblicos, deduzimos que todos os anjos foram criados de uma só vez e que nenhum outro anjo foi acrescentado depois ao seu número. Os anjos não são eternos; fazem parte do universo que Deus criou. Numa passagem que se refere aos anjos como hostes celestiais ou exército dos céus, diz Esdras: 

Só tu és SENHOR; tu fizeste o céu, o céu dos céus, e todo o seu exército, a terra e tudo quanto nela há, os mares e tudo quanto neles há, e tu os guardas com vida a todos; e o exército dos céus te adora” (Ne 9.6). 

Paulo nos diz que Deus criou todas as coisas, as visíveis e invisíveis, por meio de Cristo e para Cristo, e depois inclui especificamente o mundo dos anjos com a expressão “sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades” (Cl 1.16). Por causa da rebelião os anjos foram divididos em duas classes: anjos obedientes e anjos desobedientes (anjos caídos).

Os anjos, portanto, são seres puramente espirituais, incorpóreos, dotados de inteligência, vontade e livre arbítrio, elevados por Deus a ordem sobrenatural, isto é, chamados pela graça a participar na vida de Deus através da visão beatífica. Muitíssimo mais perfeitos que os homens, sua inteligência é inesgotável e sua vontade imensamente poderosa. Como não dependem da matéria, seu conhecimento é consideravelmente mais perfeito que o do homem; para eles, ver é já conhecer. E conhecer significa compreender as coisas com toda profundidade de que são capazes, em sua substancia, e sem possibilidade de erro. Por isso, a prova, para eles, teve consequência imediata e irremediável. Pois seu querer é absoluto, não volta atrás. Aquilo que querem, o desejam para todo e para sempre.

Daí o ato de que, depois da prova, tenham passado imediatamente a eternidade do Inferno (os demônios), como a do Céu (os anjos bons).

Deus criou os anjos para conhecê-lo, amá-lo, servi-lo e proclamar suas grandezas, executar suas ordens, governar este universo e cuidar da conservação das espécies e dos indivíduos que nele vivem.

"Como príncipes e governadores do vasto universo, a que se refere todo o sistema da criação, os anjos presidem, na ordem material, o movimento dos astros, a conservação dos elementos, e a realização de todos os fenômenos naturais que nos enchem de alegria ou de terror. Entre eles está compartida e repartida a administração deste vasto império. Uns cuidam dos corpos celestes, outros da terra e de seus elementos, outros de suas produções, árvores, plantas, flores e frutos. A estes, está confiado o governo dos ventos e mares, dos rios e fontes; a aqueles, a conservação dos animais. Não há nenhuma criatura, seja grande ou pequena, que não tenha uma potência angélica encarregada de velar por ela, pois para isso foram feit".

Às vezes os anjos, quando são enviados por Deus aos homens para alguma missão, utilizam a forma humana, a fim de acomodar-se a nossa natureza. Sem obstáculo, nesses corpos etéreos e rápidos com os quais em geral aparecem, não estão como a alma humana está no corpo, dando-lhe vida e tornando-o capaz de executar as tarefas. Pelo contrário, ali estão como um operador está em sua máquina, da qual se serve para executar as obras de sua arte. Fora do horário de trabalho, não tem com ela nenhuma ligação.

"Segundo estudiosos, as aparições acidentais dos anjos no mundo não são mais que o prelúdio de sua aparição habitual no Céu. Assim, é provável que no Céu os anjos assumiram magníficos corpos aéreos para regozijar a vista dos eleitos e conversar com eles cara a cara".

Os anjos possuem qualidades equivalentes às humanas. Exemplos:

Os anos são racionais: “... sábio é meu senhor, segundo a sabedoria de um anjo de Deus, para entender tudo o que se passa na terra” (2 Sm 14.20).

Os anjos são seres morais criados com capacidade de discernir e fazer o que é certo ou errado: “...com um anjo de Deus, assim é o rei, meu senhor, para discernir entre o bem e o mal” (2 Sm 14.17).

Os anjos devotam adoração inteligente: “Louvai-o todos os seus anjos; louvai-o, todas as legiões celestes” (Sl 148.2).

Os anjos possuem emoções: “Eu vos afirmo que, de igual modo, há júbilo diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende” (Lc 15.10).

Os anjos foram compensados pela obediência e castigados pela desobediência: “Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo” (2 Pe 2.4).

Os anjos, como sabemos, são espíritos, não possuem um corpo humano, logo, não se reproduzem, não possuem órgãos reprodutores que lhes deem a capacidade de reproduzir, As passagens bíblicas que provam de forma clara e absoluta que os anjos são incorpóreos são muitas no Novo Testamento que dispensam comentários. Confira algumas delas: (Mt 8.16; 12.45; Lc 7.21; 8.2; 11.26; At 19.21; Ef 6.12 e Hb 1.14.

Através das Sagradas Escrituras, também nos foi revelado que os anjos são possuidores de sabedoria e inteligência sobre-humana.

Para os estudiosos da Bíblia, a sabedoria dos anjos é clara. Porém, Jesus forneceu testemunho de que o conhecimento dos anjos é limitado quando falou da sua segunda vinda, dizendo: “Mas a respeito daquele dia ou da hora ninguém sabe; nem os anjos no céu, nem o Filho, senão o Pai” (Mc 13.32).

Com relação ao seu poder, embora seja grande, é limitado (Sl 103.20).

*** Resumo da Natureza dos anjos: ***

  • NÃO SÃO SERES HUMANOS GLORIFICADOS (Hb.12:22,23):
  • SÃO SERES ESPIRITUAIS –Incorpóreos ( Hb.1:14 ). Não tem corpo físico, mas podem assumir forma corpórea ( Gn.18:19 ). (Sl.104:4; Hb 1:7; Ef.6:2; Mt.8:16; 12:45; Lc.7:21; Apc.16:14 ).
  • SÃO IMORTAIS –Os anjos não estão sujeitos à dissolução: nunca morrem. A imortalidade dos anjos se deriva de Deus e depende de Sua vontade. Os anjos são isentos da morte, porque assim Deus os fez. ( Lc.20:35,36 ).
  • NÃO SE REPRODUZEM CONFORME SUA ESPÉCIE – As escrituras em parte alguma ensina que os anjos são seres assexuados. Inferências encontramos referindo-se aos anjos, com o uso de pronomes do gênero masculino ( Dn.8:16,17; Lc.1:12,29,30; Apc.12:7; 20:1; 22:8,9 ). Mas, não obstante, o casamento, a reprodução, não é da ordem ou do plano de Deus.
  • SÃO PODEROSOS –Dotados de poder sobre-humano ( Sl.103:20; II Pd.2:11 ). São uma classe de seres criados superiores aos homens ( Sl.8:5; Hb.2:10 ). Contudo, esse poder tem seus limites estabelecidos, não são Onipotentes ( II Ts.1:7; II Sm.24:16,17 ). Veja demonstração de poder dos anjos – ( At.5:19; 12:7,23; Mt.28:2 ).

Obs: Quão capazes, portanto, são os anjos bons para ministrar ao homem; e quão desesperadora pode ser a oposição dos principados, os dominadores deste mundo tenebroso! Confiemos, portanto, na força do poder do Senhor e de seus ministros, Amém!

  • SÃO SERES VELOZES –Mt.26:53 ) O pensamento que deve ser destacado, é que os anjos, cuja residência, supostamente era nos céus, podiam instantaneamente aparecer em defesa de seu Senhor. Como essas legiões de anjos poderiam passar, com tal rapidez, do céu até o triste Getsêmani, ultrapassa nosso entendimento. Sabemos apenas que a possibilidade do fenômeno indica uma atividade e rapidez verdadeiramente maravilhosa.
  • SÃO SERES PESSOAIS:
  • Inteligência – Dn.10:14
  • Emoções – Jó 38:7
  • Vontade – Is.14:13,14
  • Não são Oniscientes – Mt.24:36
  • Não são Onipresentes – Dn.9:21-23
  • Não são Onipotentes – Dn.10:13
  • SÃO PERFEITOS E SEM FALHA – Gn.1:31 )
  • Parte dos anjos tornaram-se rebeldes e caídos – Jd.6; II Pd.2:4 )
  • O restante permaneceu obediente – ( Mt.25:31; Sl.99:7 )
  • SÃO SERES GLORIOSOS – Lc.9:26 ) Os anjos são dotados de dignidade e glória sobre-humanos.

SOBRE AS FUNÇÕES DOS ANJOS:

 

Os anjos foram criados com propósitos definidos por Deus. Foram criados como servos de Deus, de Cristo e da Igreja para executarem a vontade de Deus na Terra (Hb 1.6, 14). Além disso, comunicam-se entre si (Ap 14.18). Antes da rebelião de Satanás contra o Criador, todos os anjos foram criados primordialmente para adorar a Deus e a Cristo, tendo portanto sua existência centrada na Divindade.

- ADORAR A DEUS:

Este é o principal e mais importante ministério dos anjos. Várias passagens bíblicas confirmam isso:

E olhei, e ouvi a voz de muitos anjos ao redor do trono, e dos animais, e dos anciãos; e era o número deles milhões de milhões, e milhares de milhares, que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças” (Ap 5.11-12).

E outra vez, quando introduz no mundo o primogênito, diz: E todos os anjos de Deus o adorem” (Hb 1.6).

Bendizei ao SENHOR, todos os seus anjos, vós que excedeis em força, que guardais os seus mandamentos, obedecendo à voz da sua palavra. Bendizei ao SENHOR, todos os seus exércitos, vós ministros seus, que executais o seu beneplácito” (Sl 103.20-21).

- MEDIADORES DA LEI:

Foi por intermédio dos anjos que a Lei mosaica foi transmitida ao povo israelita: 

“...vós que recebestes a Lei por ministério dos anjos e não a guardaste” (At 7.53). “Logo, para que é a lei? Foi ordenada por causa das transgressões, até que viesse a posteridade a quem a promessa tinha sido feita; e foi posta pelos anjos na mão de um medianeiro” (Gl 3.19).

 

- EXECUTORES DOS JUÍZOS DE DEUS:

Por várias vezes os anjos são apresentados nas Escrituras com missões específicas de executar juízos de Deus.

Então disseram aqueles homens a Ló: Tens alguém mais aqui? Teu genro, e teus filhos, e tuas filhas, e todos quantos tens nesta cidade, tira-os fora deste lugar; Porque nós vamos destruir este lugar, porque o seu clamor tem aumentado diante da face do SENHOR, e o SENHOR nos enviou a destruí-lo” (Gn 19.12-13).

Estendendo, pois, o anjo a sua mão sobre Jerusalém, para a destruir, o SENHOR se arrependeu daquele mal; e disse ao anjo que fazia a destruição entre o povo: Basta, agora retira a tua mão. E o anjo do SENHOR estava junto à eira de Araúna, o jebuseu” (2 Sm 24.16).

 

- IRÃO REUNIR os homens de bom coração na Volta de Cristo: 

Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus” (Mt 24.30-31).

- ANJOS DA GUARDA – CONSELHEIROS CELESTIAIS

Os Anjos da Guarda são nossos conselheiros, inspirando-nos santos desejos e bons propósitos. Evidentemente, o fazem no interior de nossas almas, se bem que, como vimos, tenham existido almas santas que mereceram deles receber visivelmente celestiais conselhos.

O desvelo de nosso Anjo da Guarda para conosco está bem expressado pelo Profeta Davi no Salmo 90: "O mal não virá sobre ti, e o flagelo não se aproximará de tua casa. Porque enviou [Deus] seus Anjos em teu auxílio, para que te guardem em todos os teus caminhos. Eles te elevarão em suas mãos, para que teu pé não tropece em alguma pedra"

Os Anjos pela Bondade de Deus, podem interferir na situação desfavorável de maneira que através de uma correção nas nossas atitudes, possamos alterar uma situação que certamente traria dificuldades.Os anjos nos alertam para o passo "errado" que estamos dando, eles intercedem por nós nas doenças, nas angústias da alma, levam nossas orações até o lugar mais alto possível, buscam ajuda onde se pode alcançar, e sempre estão ligados em nossa energia, buscando ampliar a nossa alegria e motivação.

Independente da nossa crença ou não, os anjos continuam agindo em nosso favor.

Jesus está diretamente associado com os anjos por ocasião do seu nascimento, nos quarenta dias de jejum, em sua agonia na noite em que foi traído, na Ressurreição, na Ascensão e na sua segunda vinda.

Então, vemos a confirmação de que cada pessoa tem um anjo da guarda pessoal nas palavras de Jesus em Mateus 18:10:

"Vede, não desprezeis algum destes pequeninos, porque eu vos digo que os seus anjos nos céus sempre vêem a face de meu Pai que está nos céus. "(Mateus 18:10)

Repare que Jesus fala das crianças que estão ali entre os homens afirmando que cada uma delas tem um anjo que "sempre vêem a face de meu Pai que está nos céus".

Assim, fica claro que além da existência dos anjos, que atendem a humanidade como um todo, cada ser humano tem um anjo da guarda que vê a face de Deus sempre, e pode interceder por nós.

 

- AS FUNÇÕES DE GUERREIROS CELESTIAIS DOS ANJOS

Em várias partes dos Livros Sagrados os Anjos são mencionados como sendo a Milícia Celestial. Assim, narra o Profeta Isaías ter visto que "Os Serafins ... clamavam uns aos outros e diziam: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus dos Exércitos". (Is. 6, 2-3). Y, no Apocalipse, comandados pelo Arcanjo São Miguel, travaram no Céu uma grande batalha derrotando Satanás e seus anjos rebeldes (Ap. 12, 7). Em outras passagens aparecem eles exercendo inclusive funções bélicas. Lemos, por exemplo, no II Livro das Crônicas que, havendo Senaquerib invadido a Judéia, mandou uma delegação a Jerusalém para dissuadir seus habitantes da fidelidade a seu rei Ezequias, blasfemando contra o Deus verdadeiro. O Rei de Judá e o Profeta Isaías se puseram em oração implorando a proteção divina contra as tropas inimigas. "E o Senhor enviou um anjo que exterminou todo o exército do rei da Assíria em seu próprio acampamento, com os chefes e os generais, e o rei voltou a sua terra completamente confuso" (II Cron. 32, 1 a 21).

Guerreiros angelicais — tanto no Antigo como no Novo Testamento — às vezes se unem também aos homens contra os inimigos do Senhor. Assim, por exemplo, ajudaram Judas Macabeu numa batalha decisiva. Outras vezes auxiliaram os soldados da Cruz contra os muçulmanos, como havia sido narrado nas crônicas das Cruzadas.

Na Sagrada Escritura, o próprio autor dos Atos dos Apóstolos afirma: "O Senhor Deus dos exércitos frequentemente envia também seus guerreiros para livrar seus amigos das mãos dos ímpios" (Atos 5, 18-20; 12, 1-11).

- MENSAGEIROS DE DEUS E PROTETORES DAS PESSOAS

No Livro de Daniel (10, 13-21), o Arcanjo São Miguel defendeu os interesses dos israelitas contra o Anjo protetor da Pérsia. No Apocalipse, São João se refere a vitória desse Arcanjo contra o demônio e seus sequazes. Mais recentemente, lemos na autobiografia de Santo Antônio Maria Claret, que certo dia, estando ele só no coro do Monastério do Escorial, viu Satanás que lamentava com grande raiva e despeito, por ter visto frustrado alguns de seus planos em relação aos estudantes. Ouviu então a voz do Arcanjo Miguel que lhe disse: "Antônio, não tenha medo. Eu te defenderei". São Gabriel foi o grande mensageiro e embaixador de Deus não só na Anunciação a Nossa Senhora, senão, segundo o parecer de muitos teólogos, também apareceu junto a Zacarias, para anunciar-lhe o nascimento de João Batista. E junto a São José, a quem apareceu três vezes em sonho: para anunciar a concepção divina de Maria, recomendar a fuga para o Egito e o retorno daquele, depois da morte de Herodes.

- FUNÇÕES DOS ANJOS NO JUÍZO FINAL

Os anjos de Deus serão os ceifeiros que separarão os cristãos dos incrédulos no dia do juízo final. Eles conhecem a diferença entre o joio e o trigo.

Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro”; (Mateus 13:30) 

O inimigo, que o semeou, é o diabo; e a ceifa é o fim do mundo; e os ceifeiros são os anjos” (Mateus 13.39).

Assim será na consumação dos séculos: virão os anjos, e separarão os maus de entre os justos, e lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes” (Mt 13.49-50).

 

*** ANJOS NÃO DEVEM SER ADORADOS ***

Os anjos são seres criados e, como tais, não devem ser adorados, pois a adoração é uma prerrogativa exclusiva das pessoas da Trindade, a saber: Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo (Is 6.3; Rm 11.33-36; Ap 4). Não encontramos na Bíblia nenhuma passagem que abone a ideia de adoração ou culto aos anjos. Jesus quando da tentação no deserto, deixou bem claro a quem devemos adorar e prestar culto, quando disse: “Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a Ele darás culto”. Visto que um anjo não é Deus, mas apenas uma criatura de Deus, não pode nem deve ser adorado ou cultuado. O apóstolo João, quando estava recebendo a revelação das coisas futuras por intermédio de um anjo escreveu: 

“... prostrei-me aos pés do anjo que me mostrava para o adorar. E disse-me: Olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, dos profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus” (Ap 22.8-9). Portanto, reiteremos que somente o Deus revelado nas Escrituras deve ser adorado, porque Ele disse: “... a minha glória, pois não a darei a outrem, nem a minha honra, às imagens de escultura” (Is 42.8).

 

Aprenda mais sobre os anjos! Veja também!

Hierarquia dos Anjos

Anjos Nomes

Gênios da Humanidade

Oração dos Anjos

Anjos Caídos

Contatando o seu anjo

Calendário dos Anjos

 

 

Fontes de pesquisa:

www.starnews2001.com.br

www.meuanjo.com.br

http://solascriptura-tt.org

http://pt.wikipedia.org

www.santovivo.net

http://spessantotomas.blogspot.com.br

Lewis, James R. e Evelyn Dorothy Oliver-Enciclopédia dos Anjos-tradução: Daniel Vieira

INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE O CONTEÚDO DESTA PÁGINA!

Protected by Copyscape Online Infringement Detector

- Não é permitido copiar totalmente ou parcialmente o texto desta página e inseri-lo em outra página da web. Tal evento é monitorado pela Copyscape. Você proprietário de site ou blog, faça do Ignotus uma fonte de consulta, inspiração para seus próprios textos, citando o Ignotus como fonte.

- É permitido copiar o conteúdo para o seu computador para leitura posterior.

- É permitido realizar pesquisas ou trabalhos acadêmicos/escolares, copiando parte ou totalmente o conteúdo desta página, desde que citado a fonte: "Ignotus - Rede Social Esotérica - ignotus.com.br".

- É permitida a impressão desta página.

Comentar

Você precisa ser um membro de Ignotus Rede Social para adicionar comentários!

Entrar em Ignotus Rede Social

Comentário de Norma Honorato em 21 outubro 2014 às 12:56

Espetacular essa página dos Anjos. Obrigada pelas informações.

Comentário de luci rosa franco em 15 junho 2014 às 10:59

MUITO OBRIGADO POR TODAS ESSAS INFORMAÇÕES QUE ME AJUDARÃO MUITO EM MUITAS DUVIDAS QUE EU TINHA ,MUITO OBRIGADO A TODA A EQUIPE.

Comentário de MIDELI GRACIA em 24 março 2014 às 18:48

SEM PALAVRAS, SIMPLESMENTE MAGNIFICO, PARABÉNS A EQUIPE. E QUE A LUZ ANGELICAL CONTINUE A ILUMINAS SUAS MENTES.

Comentário de pedro tadeu ferreira macedo em 16 junho 2013 às 12:57

UM TRABALHO MUITO BEM FEITO. TODOS OS ELOGIOS À PESSOA, E/OU PESSOAS QUE O FIZERAM. NOTA-SE QUE NO INÍCIO HÁ IMPESSOALIDADE NA APRESENTAÇÃO DO TRABALHO, MAS NO FINAL, É TENDECIOSAMENTE JUDAICO/CRISTÃO. NÃO QUE ISTO DESMEREÇA O TRABALHO, JÁ QUE A BÍBLIA É UMA FONTE MUITO RICA EM CITAÇÕES SOBRE ANJOS E OS ANTIGOS NÃO SÃO TÃO ACESSÍVEIS. NO ENTANTO GOSTARIA DE FAZER UM QUESTIONAMENTO PESSOAL: "SENDO DEUS TODO PODEROSO, TENDO ARQUITETADO O PLANO DA CRIAÇÃO, CERTAMENTE O PLANEJOU COM PERFEIÇÃO E SABEDORIA. NENHUMA FALHA PODERIA HAVER EM SEU PLANO PERFEITO. A CRIAÇÃO DE TODAS AS CRIATURAS E AS SUAS EXISTÊNCIAS ESTÃO EM DEUS, JÁ QUE FORA DELE NADA SUBSISTE. COMO ENTÃO IMAGINAR UM MUNDO DO MAL COEXISTINDO NO MUNDO PERFEITO DE DEUS? O MUNDO DO MAL ESTÁ NO MUNDO DE DEUS, OU SXÓ EXISTE NO MUNDO IMAGINÁRIO DE VIRTUAL DOS HOMENS?

© 2017   Criado por Edson Luiz Pocahi.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço