GOOGLE SITE TRANSLATOR

Registre-se em 1 minuto!

PUBLICIDADE

Últimas atividades

Valdemar Frederico Schroer curtiu a postagem no blog O EQUINÓCIO DE 2018 de Edilza
4 horas atrás
Valdemar Frederico Schroer curtiu a postagem no blog O EQUINÓCIO DE 2018 de Edilza
4 horas atrás
Valdemar Frederico Schroer curtiu a postagem no blog OUVIR O SILÊNCIO de Edilza
5 horas atrás
Ivone Alencar Barbosa curtiu a postagem no blog O EQUINÓCIO DE 2018 de Edilza
22 horas atrás
Ivone Alencar Barbosa curtiu a foto de ERALDO FERREIRA JUNIOR
22 horas atrás
Ivone Alencar Barbosa curtiu a foto de Sander Y'sus In' Jesus
22 horas atrás
Posts no blog por Edilza
ontem
Edilza respondeu à discussão Deixar Fluir de João Antunes
"Deixar fluir é estar em sintonia com a magia do Universo, pois tudo está ligado. Tudo faz parte de uma grande teia energética, por mais que você pense que não."
ontem
Edilza curtiram a discussão Deixar Fluir de João Antunes
ontem
Edilza postou uma discussão

VOANDO NAS ASAS DA ÁGUIA

VOANDO NAS ASAS DA ÁGUIAUma mensagem de Arcanjo Miguel por Carolyn Ann O’Riley 5 de Setembro de 2010Bem-vindos! Bem-vindos! Bem-vindos! Meus Belos Seres de Luz, na recolha da mensagem deste mês.Este Mensageiro ama conectar-se com os leitores, quer…Ver mais...
ontem
Edilza curtiu a postagem no blog Mensagens de Sergio Mello 17 de Edson Luiz Pocahi
sexta-feira
Edilza curtiu a postagem no blog Mensagens de Sergio Mello 18 de Edson Luiz Pocahi
sexta-feira

Mensagens de blog

Curta Nossa Página no Facebook

O Ser humano e a Natureza Qual é o verdadeiro significado da necessidade da harmonia entre o ser humano e a natureza no planeta em que vivemos? Hermes: O que afirmaremos não é um verdadeiro signif…

O Ser humano e a Natureza

Qual é o verdadeiro significado da necessidade da harmonia
entre o ser humano e a natureza no planeta em que vivemos?

Hermes: O que afirmaremos não é um verdadeiro significado, mas sim um significado ainda pouco compreendido entre os homens. Já afirmamos em livros anteriores, que Jesus não é o Cristo. Ele foi seu sublime medianeiro para trazer a mensagem do amor crístico aos povos ocidentais, assim como ocorreu com Buda, Krishna, Zoroastro, Moisés, Maomé, Antúlio entre outros grandes mestres que realizaram tarefa semelhante em seus povos.
Para melhor compreender o processo evolutivo da Terra, é interessante saber que os grandes mestres espirituais da Terra foram, na verdade, intérpretes de uma alma ainda mais avançada, que já não possui mais corpo espiritual, há muitas eras, e vive apenas no plano mental, sendo onipresente em toda a Terra. É a alma crística do planeta, que podemos chamar de Gaia, Cristo ou Logos Planetário.

Esse ser extraordinário “encarnou” no planeta Terra e estabeleceu a vida em seus primórdios. Ele é o Logos que mantém vivo o ecossistema, o campo magnético do planeta, as correntes marítimas, as dos ventos e todas as demais variantes que sejam necessárias para o equilíbrio de nosso mundo.
Ele possibilita ao planeta gerar vida, ser a “Grande Mãe” de seus filhos e nutri-los. Os corpos físicos que nossas almas utilizam-se para evoluir foram gerados a partir do “corpo de Cristo”, ou seja, a matéria prima da Natureza de nosso próprio mundo! Logo, agredir a natureza é agredir a nossa própria mãe!
Gaia, na verdade é uma integração do Cristo e nós. É composta pela biosfera (seres vivos) e os componentes físicos da Terra: atmosfera (ar), criosfera (gelo), hidrosfera (água) e litosfera (solo) que formam um complexo sistema integrado que mantém o clima do planeta e as condições bio-geo-químicas em perfeito equilíbrio. A Terra é de fato um organismo vivo que reage através de seus sistemas, buscando sempre uma condição de equilíbrio.
Da mesma forma que nosso corpo responde as interações de nossa alma, a Terra responde ao controle do Cristo. E quando ferimos o planeta com nossas atitudes antiecológicas ou com energias negativas, estamos literalmente ferindo o corpo da entidade espiritual máxima da Terra, ou seja, o representante direto de Deus em nosso mundo.
Quando o homem destrói a Natureza, através da poluição dos rios, do desmatamento das florestas, do ar onde são lançados produtos não biodegradáveis na Natureza, está agredindo diretamente o Cristo de forma vil, da mesma forma que foi feito com Jesus, seu sublime emissário, no dia de sua triste crucificação. Caro leitor, reflita sobre isso.
Quando acabar a vida em nosso mundo, esse será o dia de seu desencarne. Ele ficará livre para assumir novas incumbências dentro do Eterno Plano Divino. Espero que um dia a humanidade compreenda o quanto é importante respeitar e amar o verdadeiro “corpo de Cristo”!
É por esse motivo que o Universalismo Crístico entende que as questões ecológicas e humanitárias são tão importantes quanto as espirituais em nossa jornada evolutiva. Nós, habitantes da Terra, somos como as células de um grande organismo: Gaia. Só seremos verdadeiramente felizes e venceremos as trevas se orquestrarmos uma evolução conjunta. Mais uma vez se comprova a tese de que “somos todos um”.
Um exemplo disso está nos massacres dos animais em matadouros, que fere a alma grupo daquela espécie e, indiretamente, o corpo de Gaia. Essa atitude infeliz reflete em desequilíbrios no campo astral de todo o planeta, estimulando a ação das trevas e o desencadeamento da violência humana no plano físico. Por isso os budistas e espiritualistas mais conscientes defendem com afinco a vida e a natureza como um todo.
E sem contar os desequilíbrios ambientais como terremotos, furacões, tempestades e outros fenômenos destrutivos da natureza. Essas tragédias não se tratam de uma ação vingativa do planeta, mas sim uma reação natural de defesa e de busca de reequilíbrio gerada a partir de nossa ação depredatória contra Gaia. Quem planta espinhos, jamais colherá flores.
A resposta de Hermes foi retirada integralmente do livro “Universalismo Crístico Avançado”.

Exibições: 72

Comentar

Você precisa ser um membro de Ignotus Rede Social para adicionar comentários!

Entrar em Ignotus Rede Social

© 2018   Criado por Edson Luiz Pocahi.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço