GOOGLE SITE TRANSLATOR

Registre-se em 1 minuto!

PUBLICIDADE

Mensagens de blog

Curta Nossa Página no Facebook

A atividade onírica é mais complexa do que imaginamos. Os sonhos, na verdade, são uma mistura de experiências do cotidiano, principalmente, as situações não resolvidas na ordem dos sentimentos, preocupações latentes e medos, associado à percepções sensoriais, supra sensoriais, de âmbito mediúnico e de projeção do espírito para fora do corpo físico.

No sentido da interpretação dos sonhos, tanto o Espiritismo, através de Allan Kardec, codificador das obras básicas, quanto a Psicanálise, criada por Sigmund Freud, têm as suas parcelas de contribuição em relação ao significado dos sonhos, pois os mesmos expressam, nada mais nada menos, que a natureza interdimensional do ser humano.

À medida que o indivíduo aprofunda-se no autoconhecimento de nível interdimensional, torna-se mais fácil para ele, distinguir quando um sonho reúne experiências associadas (dimensões física e espiritual) ou apenas uma dimensão (física ou espiritual).

As experiências oníricas associadas, assim como as que representam uma só dimensão, são passíveis de interpretação sob a ótica interdimensional, que vê nessas experiências a projeção do inconsciente superficial e profundo, insights referentes à memória extra cerebral (vidas passadas), desdobramento do espírito e contatos espirituais durante o sono.

Portanto, sonhar que o espírito está volitando, ou seja, deslocando-se no espaço após projeção (saída) do corpo físico durante o sono, não significa sintomas de baixa auto-estima, carência afetiva ou algo parecido como podem supor "especialistas da área", e sim, que o indivíduo, realmente, estava projetado do corpo físico e se deslocando em espírito pela dimensão física ou espiritual. É óbvio que cada caso é um caso a ser analisado pela ótica interdimensional, o que não poderia ser diferente quando se trata de psicoterapia. É o que veremos a seguir, na abordagem de um caso clínico, conforme relato de um sonho ocorrido recentemente com um paciente.

O SONHO DO PACIENTE

Sonhei que me deslocava no espaço e que para movimentar-me era necessário mexer os braços como num movimento de mergulho na água.

Inicialmente inseguro, percebia que conforme exercitava o movimento de braços e pernas, mais confiança adquiria em relação ao próprio deslocamento e no contorno de obstáculos como postes de luz, prédios, entre outros.

Lá de cima, via o burburinho da cidade. Às vezes baixava e ficava pouco acima da rede elétrica das ruas. Outras vezes, subia acima dos prédios mais altos, a observar detalhes da movimentação humana, Lembro nitidamente de ter passado por cima de um parque arborizado.

Noutras vezes, "pousava" no passeio público e me sentia um homem comum. Mas quando "alçava" voo novamente, chamava a atenção de algumas pessoas próximas e que me observavam admiradas sem entenderem o que estava acontecendo. Mas logo baixavam a cabeça e retornavam à rotina de suas vidas. A grande maioria, no entanto, demonstrava no que via, indiferença ou incredulidade.

E assim, me deslocando de um ponto a outro com uma indescritível sensação de liberdade, sentia-me como um pássaro novo a exercitar as suas asas no primeiro voo de uma vida independente.

DESDOBRAMENTO ESPIRITUAL

O sono fisiológico, denominado como "um estado de morte", por propiciar o torpor das faculdades pensantes e fazer desaparecer a aparente realidade do mundo objetivo, faculta ao espírito um parcial desdobramento, no qual se movimenta além dos limites corporais.

Conforme as suas inclinações, desejos e hábitos, tão logo sente se afrouxarem os liames periespirituais, o espírito desloca-se para lugares onde encontra respostas para as necessidades cultivadas. (Fonte: Joanna de Angelis)

VOLITAÇÃO

Capacidade que o espírito tem, em certo nível de adiantamento, de "voar" não apenas no sentido literal, mas também de maneira mais transcendental. O espírito se transporta para onde quiser ou lhe for determinado, sob a ação e o impulso de sua própria inteligência. (Fonte: Portal Espírita http://www.plenus.net/)

COMENTÁRIO

Interpreto o "sonho" como de característica associada, ou seja, reflexos das duas dimensões da natureza humana (física e espiritual), à medida que preocupações da experiência encarnada encontram-se inseridas na experiência transcendental em forma de mensagem.

O fato de sentir-se em deslocamento pelo espaço físico era real, pois havia se desdobrado do corpo físico durante o sono que começara próximo das 21 horas. Assim como era real a preocupação - que era latente - em relação à incredulidade e indiferença das pessoas, registrado no relato.

O paciente, uma pessoa espiritualizada, durante a psicoterapia, experenciou uma angústia em relação ao que ela denominou "alienação das pessoas com as coisas do espírito". E essa preocupação latente revelou-se em forma de recado ou mensagem da espiritualidade superior durante a experiência onírica.

E a mensagem, ao analisarmos o conteúdo da experiência, é a de cada indivíduo tem o seu ritmo e o seu momento de despertar para as verdades do espírito. Dentro do seu ritmo, cada ser humano vivencia a sua própria jornada evolutiva. Nessa caminhada, alguns encontram-se à frente, muitos atrás, e outros, parados pelo caminho, perdidos ou à espera do "despertar". Realidade, que como sabemos, começa a mudar a partir do milênio em curso...

A heterogeneidade da natureza humana é o motivo da existência de diferentes níveis de consciência entre nós. Fato que torna lento o processo de evolução do coletivo de espíritos que reencarnam na Terra.

Fica claro na interpretação interdimensional da mensagem, que devemos aceitar o fluxo da evolução humana que é lento por natureza, e evitar excesso de preocupações que não leva a lugar algum, pois tudo tem o seu tempo, inclusive, o tempo de mudanças que se anuncia para o planeta...

Fica claro também, que somos ainda inexperientes nos voos mais altos do espírito, e que, ao visualizarmos os nossos irmãos do alto, não somos diferentes deles, mesmo em voo de principiante. Talvez menos indiferentes e mais receptivos aos valores do espírito aplicados à filosofia de vida. No mais, somos todos eternos aprendizes da evolução.

TEXTO: Flavio Bastos : criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico.

Exibições: 288

Comentar

Você precisa ser um membro de Ignotus Rede Social para adicionar comentários!

Entrar em Ignotus Rede Social

Comentário de Irlei Cordeiro Pimentel Pozzan em 28 julho 2015 às 16:07

HÁ MUITO TEMPO EU TINHA SEMPRE SONHOS ASSIM, EM QUE EU VOAVA E OUTRAS COISAS MAIS. ASSIM, EU AGRADEÇO SINCERAMENTE OS ESCLARECIMENTOS DESSES SONHOS, EMBORA EU - HÁ MUITO TEMPO, JÁ - NÃO TENHA TIDO SONHOS ASSIM.
Desculpe a "caps-lock)

© 2020   Criado por Edson Luiz Pocahi.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço