GOOGLE SITE TRANSLATOR

Registre-se em 1 minuto!

PUBLICIDADE

Últimas atividades

silvia dejesus velhinho côrro curtiu a postagem no blog O que são os evangelhos apócrifos? de Edilza
8 horas atrás
Posts no blog por Edilza

O SONHO DA ALMA

O SONHO DA ALMAO SONHO DA ALMAMENSAGEM DOS ANJOS canalizada por Ann Albers16 de Março de…Ver mais...
9 horas atrás
Valdemar Frederico Schroer curtiu a postagem no blog Mentores de Órion falam sobre o futuro de Edilza
22 horas atrás
Valdemar Frederico Schroer curtiu a postagem no blog Mentores de Órion falam sobre o futuro de Edilza
22 horas atrás
Valdemar Frederico Schroer curtiu a postagem no blog Embrulho no estômago de Edson Luiz Pocahi
22 horas atrás
Valdemar Frederico Schroer curtiu a postagem no blog SINTOMAS DA ASCENSÃO de Edilza
22 horas atrás
Gilberto T. Da Gama curtiu a postagem no blog Mensagens de Sergio Mello 42 de Edson Luiz Pocahi
ontem
Gilberto T. Da Gama curtiu a postagem no blog Mensagens de Sergio Mello 43 de Edson Luiz Pocahi
ontem
Gilberto T. Da Gama compartilhou o post do blog de Edson Luiz Pocahi em Facebook
ontem
MARGARIDA MARIA MADRUGA deixou um comentário para Marcia Cristina Luz
"SEJA BEM VINDA MARCIA!"
ontem
MARGARIDA MARIA MADRUGA deixou um comentário para Carla Amaral
"SEJA BEM VINDA CARLA!"
ontem
MARGARIDA MARIA MADRUGA deixou um comentário para bruno Robert da Silva Rocha
"SEJA BEM VINDO BRUNO!"
ontem

Mensagens de blog

Curta Nossa Página no Facebook

SER HUMANO - PSICOLOGIA: Por que algumas pessoas só têm má sorte?

Por que algumas pessoas só têm má sorte?

 

Azarado? Ou apenas más habilidades para estacionar? A cena em 1933, mostra um carro que sem motorista, rolou 50 pés para baixo em uma encosta de um muro de contenção e ficou prensado contra uma casa de tijolos de dois andares em Pittsburgh, Pensilvânia.

 

A maioria de nós provavelmente estão familiarizados com Jó, o personagem bíblico cuja fé foi deliberadamente testado com infortúnios.

Primeiro, saqueadores roubaram seus bois e jumentos, e matou os seus servos. Em seguida, um vento varreu sua casa e desabou, matando seus filhos e filhas. Se isso não fosse o suficiente, então ele sofria com feridas dolorosas da sola dos pés ao alto da cabeça.

As coisas ficaram tão ruins para Jó que em um ponto, ele mesmo amaldiçoou o dia de seu nascimento. "O suspiro tornou-se a minha alimentação diária", ele lamentou. "Meu gemidos derramam como água."

A vida foi muito dura para Jó, mas ele não foi o único. Muitos outros ao longo da história ficaram marcados por sucessivas calamidades.

Há Violet Jessop, que trabalhava como comissária de bordo na viagem inaugural do Titanic, em 1912, e conseguiu sobreviver a colisão do navio gigante no Atlântico Norte com um iceberg - apenas para ter um emprego como enfermeira no Britannic, que naufragou em 1916, no Mar Egeu.

E, mais recentemente, há a história bizarra de turistas Inglês Jason e Jenny Cairns-Lawrence, que estavam visitando Nova York, quando sequestradores da Al Qaeda lançaram dois aviões contra o World Trade Center em 11 de setembro de 2001, e aconteceu de estarem em Londres, quando o sistema de transporte público da cidade foi atacado por terroristas em julho de 2005, e também viajaram para Mumbai, Índia, em novembro de 2008, a tempo de assistir a um terceiro ataque terrorista.

Escritores de jornal levou a chamá-los de "casal mais azarado do mundo."

A idéia de que algumas pessoas estão destinadas a sofrer desgraça crônica é tão arraigada em nossa consciência que há até canções escritas sobre isso - por exemplo, "Born Under a Bad Sign", o clássico de blues gravado por Albert King em 1967, em que o narrador se queixa de que "se não fosse pela má sorte, eu não teria nenhuma sorte em tudo."

Mas existe realmente a tal má sorte crônica? Se sim, por que algumas pessoas parecem ser atormentadas por essa má sorte?

Psicólogos e especialistas acadêmicos em probabilidade e estatística, que estudaram o fenômeno da má sorte, nos fornecem uma resposta complicada. É verdade que, no curso de uma vida, algumas pessoas têm muito mais coisas ruins que acontecem com elas do que a maioria de nós. Mas esse resultado pode ser influenciado por uma variedade de fatores, incluindo o acaso, as ações de outras pessoas, e suas habilidades de tomada de decisão dos indivíduos e competência na execução de tarefas.

Mas, em nossas mentes, tudo se mistura e forma essa coisa que nós pensamos como má sorte.

Rami Zwick, professor de negócios da Universidade da Califórnia em Riverside, ressalta que a idéia de má sorte existe, em parte, porque a maioria de nós não tem um bom entendimento de como a ciência da probabilidade funciona.

"Há uma diferença entre as experiências individuais e as agregados de pessoas em uma população", explica ele. Se você perguntar a 100 pessoas para jogar uma moeda 100 vezes, por exemplo, ao longo do tempo, você pode esperar que o resultado médio para o grupo será de 50 caras e 50 coroas. Mas dentro do grupo, os indivíduos podem ter mais caras do que coroas, ou vice-versa. "Se pensarmos que cara é bom e coroa é ruim, algumas pessoas vão ter uma sequência de bons resultados em sua maioria, e outros terão sua maioria resultados ruins."

Em eventos onde fatores não aleatórios, como a tomada de decisão e competência também entram em jogo, torna-se um pouco mais complicado para determinar exatamente o que causa o que muitas vezes percebemos como má sorte, Zwick diz.

"Quando pensamos em alguém como Steve Jobs ou Bill Gates e perguntamos por que eles tiveram sucesso, a resposta natural é dizer que eles são muito talentosos", diz ele. "No entanto, há também muitas outras pessoas que são talentosas, que iniciaram suas empresas, mas não foram bem sucedidas."

Ao olhar para uma seqüência de decisões e os resultados ao longo do tempo, pode ser possível identificar alguém que sofre repetidamente desgraça porque ele ou ela fez decisões erradas, ou cometeu erros na execução. (Pense em um fabricante de automóveis que habitualmente usa peças de baixa qualidade para manter os preços baixos, levando a uma reputação de produtos de má qualidade que impulsiona os consumidores a manter distância.) Mas, muitas vezes, Zwick nota, é difícil filtrar a influência da aleatoriedade.

O problema é que, mesmo quando seqüências de eventos ruins são causados ​​por puro acaso, as nossas mentes ainda anseiam uma explicação.

"Nós acreditamos em má sorte", explica o psicólogo e investigador cético Michael Shermer, autor do livro de 1997 Por que as pessoas acreditam em coisas estranhas: pseudociência, superstição e outras confusões de nosso tempo. Ele diz que a nossa capacidade de encontrar padrões em massas de dados sensoriais, uma habilidade crucial que ajudou os seres humanos para sobreviver e prosperar, também tende a detectar padrões de ruído aleatório, onde não existem realmente.

Na verdade, o psicólogo britânico Peter Bentley, autor do livro de 2009 “Why Sh*t Happens: The Science of a Really Bad Day”, diz que a má sorte parece afligir as pessoas que acreditam nele.

Ele observa, por exemplo, que os estudos têm mostrado que as pessoas que acreditam na má sorte vai ter mais acidentes na sexta-feira 13, tradicionalmente vista como um dia de azar.

"Eu acho que aqueles que acreditam que eles sofrem de má sorte crônica, são quase certamente aquelas pessoas que têm uma mentalidade muito arraigada sobre como sua vida está indo," Bentley escreve em um e-mail. "Algumas pessoas aprendem com os percalços, elas vêem o lado positivo, e podem até transformá-las em histórias divertidas. Outros debruçam sobre seus infortúnios percebidos, e começam a perceber tudo como mais um exemplo de má sorte. Quando uma pessoa perde um ônibus, alguns veem a oportunidade de dar uma caminhada a pé e visitar uma loja agradável, outra pessoa pode transformar a experiência em um lastima deprimente sobre como nada em sua vida nunca dá certo. "

Mas esse aspecto subjetivo da má sorte também torna possível para as pessoas livrarem-se da percepção de que elas sofrem com isso. Zwick e seus colegas, em um experimento descrito em um artigo de 2012 no Journal of Experimental Psychology, descobriram que os indivíduos que tiveram um infortúnio estavam mais dispostos a correr riscos novamente, se eles tinham lavado as mãos - um ritual supersticioso tradicional que supostamente limpa uma pessoa de má sorte.

E você acredita na má sorte? Há pessoas que vieram para a Terra para serem azaradas? Deixe seu comentário.

Fonte: http://news.discovery.com

País Origem: USA

Tradução exclusiva para o Ignotus: Edson Luiz Pocahi

Permitida a reprodução deste texto já traduzido, desde que seja mencionada a fonte: " Ignotus Rede Social Esotérica: http://ignotus.com.br ".

 

Exibições: 774

Comentar

Você precisa ser um membro de Ignotus Rede Social para adicionar comentários!

Entrar em Ignotus Rede Social

Comentário de MARILENA ROQUE em 17 novembro 2016 às 10:45

Acredito que existe a Lei da Atração! Tudo o que pensamos nos é concedido pelo Universo.

Comentário de Anilena Marins Asevedo em 31 janeiro 2014 às 22:27

Isso faz a gente repensar nosso ponto de vista em relação ao que é boa ou má sorte...rs

Comentário de Norhma Cell's em 31 janeiro 2014 às 9:41

Veja só, quando eu trabalhava em um banco longe de casa pegava ônibus todos os dias e na maior parte das vezes eu me atrasava.num dia como sempre estava atrasada e o ônibus estava superlotado e não dava pra eu entrar nele: que droga,que azar , pensei ...>" mas lá na minha orelha ouvia: não vai" bom, esperei mais uns 25 minutos e veio outro e embarquei...no trajeto aquele ônibus que eu precisava tanto ir nele estava capotado na estrada e muitas pessoas acidentadas, foi a partir daí que vi o quanto eu tinha sorte, mesmo sendo a campeã em chegar tarde.Também acredito naquilo em que temos gravado em nossos subconsciente e passamos a ser aquilo que está gravado em nós.Para que a sorte se instale em nós, primeiro devemos nos encher de palavras positivas e acreditar que tudo está indo cada vez melhor.E quando acontecer algo ruim temos que ver o que podemos tirar de lição para não cair novamente no erro.A cada dia de nossas vidas pode ter um dia melhor se vemos com amor e simplicidade.Esse texto é de grande valia .Agradeço esta luz e digo que a sorte é de  quem acredita que o azar não existe.muita luz a todos os irmãos.

Comentário de Eduardo Malta Galvão em 10 agosto 2013 às 8:31

Acredito sim na má e na boa sorte, caso contrário todos os jogadores nos jogos de mega sena , quina  loto fácil ,que não dependem de habilidade ou quantidade seriam contemplados com a bôa sorte ... o que acontece mas só com alguns privilegiados.,e boas e más oportunidades parecem preferir algumas pessôas mais que outras...

Comentário de Manuela Reis em 9 agosto 2013 às 18:13

OLÁ CARLOS!Gostei da sua observação/definição de sorte/azar.Concordo com o que escreveu,mas aí,é preciso que a pessoa,nós,estejamos mìnimamente atentos ou esclarecidos para interpretar esses sinais.Sem dúvida que,e isso aprendi há algum tempo,que devemos prestar atenção nos sonhos...especialmente aqueles que nos ficam na memória,que nos perturbam,que não esquecemos.Eu já senti "isso" e fez todo o sentido.Também ter atenção quando algo nos corre mal,aparentemente,como sair de casa,entrar no carro e ver que esqueceu algo...então,ao não seguir viagem naquele momento,sim foi "um aviso",porque naquele momento  não seria oportuno,podia ter um acidente.Assim ,realmente,a palavra de ordem é estar atentos,escutar todos os sinais...

Comentário de carlosalbanodealmeidamarques em 9 agosto 2013 às 16:59

eu penso que a sorte e o azar existem, assim como o bem e o mal, e tanbem penso que cada um de nós, é avisado atenpadamente desse azar, ou dessa sorte, através de pensamentos, sonhos, ou até através de reações naturais do corpo como acordar bem ou mal disposto, o dificil é saber como agir a cada situação a fim de alterar a nosso favor,as coisas desfavoráveis penso que isso é misterioso e que só com muita fé se conseguem os objetivos 

Comentário de Manuela Reis em 9 agosto 2013 às 9:32

SORTE/AZAR...NA VERDADE AINDA NÃO TEMOS UMA CULTURA QUE EDUQUE AS PESSOAS PARA SEREM MAIS OTIMISTAS,ELAS,NÓS,SOMOS LEVADOS A UM TAL GRAU DE TRAGÉDIA...QUE ACREDITAMOS PRIMEIRO NO MAL...E ASSIM ATRAÍMOS REALMENTE "COISAS" MÁS.NO ENTANTO TAMBÉM ACREDITO NO KARMA...LIÇÕES QUE FICARAM POR APRENDER NOUTRAS VIDAS E QUE SE NÃO FORMOS DEVIDAMENTE CONDUZIDOS NESSE SENTIDO,PODEREMOS,SEM QUERER,CONTINUAR COMETENDO OS MESMOS ERROS.ORA EU PENSO QUE,SE ESTAMOS NESTE PLANETA PARA EVOLUIRMOS,É NECESSÁRIO QUE EXISTAM MENTES CADA VEZ MAIS ABERTAS E PRONTAS PARA ENSINAR E CONDUZIR OS SERES HUMANOS PARA UMA NOVA EVOLUÇÃO,OU PARA A COMPREENSÃO DA SUA PRÓPRIA EVOLUÇÃO.

Comentário de Joselita Maria Gonzaga Monteiro em 9 agosto 2013 às 0:30

Não creio em má sorte, creio sim que ao longo de nossas vidas fazemos escolhas erradas, as vezes até por falta de opção, e a crença supersticiosa no azar atrai o azar. Atraimos aquilo que acreditamos, ou aceitamos como verdadeiro. A tendência da maioria das pessoas preferirem lamentar ao invés de buscar soluções atraindo para si toda sorte de infortunios Simples assim.

© 2019   Criado por Edson Luiz Pocahi.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço