GOOGLE SITE TRANSLATOR

Registre-se em 1 minuto!

PUBLICIDADE

Últimas atividades

Ana Bela G: Pestana curtiu a postagem no blog TEM TIDO SONHOS ESTRANHOS ULTIMAMENTE? de Edilza
2 horas atrás
Posts no blog por Edilza
7 horas atrás
ERALDO BORIS curtiu a foto de Edilza
18 horas atrás
ERALDO BORIS postou fotos
18 horas atrás
ERALDO BORIS curtiu a postagem no blog ATUALIZAÇÃO DE ENERGIAS: OS PRÓXIMOS DIAS de Edilza
19 horas atrás
ALMIR TENÓRIO entrou no grupo de Allan Keyroz
Miniatura

Alta Magia - Teoria e Prática

Grupo de Alta Magia, e formas de estudos que a elevam como Meditação, Yoga, Autoconhecimento, Práticas Saudáveis para melhor praticarmos esta grande Arte e outros assuntos.Quando uma pessoa tem interesse em saber sobrer o assunto e pesquisa sobre…Ver mais...
19 horas atrás
ALMIR TENÓRIO atualizaram seus perfis
19 horas atrás
ALMIR TENÓRIO curtiu a postagem no blog A fonte da juventude! de Jorge augusto gonçalves bandeira
19 horas atrás
Tânia curtiu a postagem no blog O PORTAL DO TRIPLO ECLIPSE de Edilza
ontem
Tânia curtiu a postagem no blog O PORTAL DO TRIPLO ECLIPSE de Edilza
ontem
Valdemar Frederico Schroer curtiu a postagem no blog O PORTAL DO TRIPLO ECLIPSE de Edilza
ontem
Edilza curtiu a foto de ERALDO BORIS
ontem

Mensagens de blog

Curta Nossa Página no Facebook

UNIVERSO: Big Bang? Conheça esta nova teoria da criação do Universo!

O universo pode ter surgido não com um quente e intenso Big Bang mas sim com um longo e frio nascimento, como sugere um estudo publicado recentemente.

Nos últimos 50 anos, a maioria dos cosmologistas acabaram concordando que toda a matéria inicialmente explodiu a partir de um ponto único. Em um instante, o quente e denso universo explodiu dramaticamente em um evento chamado inflação, que teve como consequência uma expansão por bilhões de anos.

No entanto, o modelo do Big Bang requer um universo que comece de uma singularidade, um ponto de densidade infinita onde as leis da física foram quebradas. Já uma teoria que evitasse essa singularidade sem introduzir outras complicações poderia se encaixar melhor na mecânica quântica.

Christof Wetterich, um físico teórico da Heidelberg University na Alemanha, acredita ter chegado nesse modelo que poderia evitar a singularidade. Em sua teoria, partículas elementares se tornam mais pesadas com o tempo, enquanto a gravidade enfraquece. Essa lógica leva a um histórico cósmico onde o universo ainda está inflando, mas não necessariamente expandindo. Ao invés de começar com o Big Bang, o tempo antes da inflação poderia se estender ao infinito.

Não é possível medir se as massas das partículas continuam constantes porque é possível apenas calcular a diferença entre diferentes massas, não as massas em si. Por exemplo, todas as massas da Terra são calculadas a partir da referência de um peso de kilograma padrão que fica na França. Isso significa que se esse peso diminuir ou aumentar de massa, todo o referencial de massas do planeta mudará também. Assim, para Christof, o universo pode não estar expandindo, mas na verdade a “régua” com que o medimos está encolhendo.

Se as massas das partículas tem crescido, a radiação de um universo no passado pode fazer parecê-lo mais quente do que ele realmente era, e objetos distantes pareceriam se distanciar mesmo que não estivessem. Isso explicaria porque o universo parece estar expandindo. Assim, Wetterich diz que a teoria da origem cósmica não precisa juntar toda a matéria em um ponto antes da inflação, evitando a singularidade. O universo poderia ter começado disperso e frio, emergindo após um período de tempo inimaginável.

O fim do “momento da criação”?

O problema com a teoria do Big Bang é que ela não permite aos físicos se livrarem de um “momento da criação”, deixando em aberto diversas questões como o que existia antes da singularidade, o que ocasionou a explosão e porque nela as leis da física não se aplicavam.

Já o modelo de Wetterich consegue acomodar os dados observacionais obtidos nas últimas décadas e abre margem para um universo que “sempre existiu”, estendendo-se ao infinito. “Não existe mais uma singularidade neste novo quadro do cosmos“, afirma ele.

Infelizmente, para Wetterich, sua teoria não tem muitas chances de ser aceita rapidamente pela comunidade científica. Segundo Niayesh Afshordi, um astrofísico da Perimeter Institute of Theoretical Physics em Waterloo, Canadá, é difícil que os cosmologistas aceitam a mudanças das massas de partículas para se livrar da singularidade. “Os cientistas são conservadores por natureza”, diz ele. “Nós não aceitamos modelos seriamente até que basicamente não haja outra opção”.

Por Gabriel Tonobohn

Fonte: http://noticias.discoverybrasil.uol.com.br 

País Origem: USA/Brasil

Permitida a reprodução deste texto já traduzido, desde que seja mencionada a fonte: " Ignotus Rede Social Esotérica: http://ignotus.com.br

O UNIVERSO DE CADA UM

UNIVERSO: CIENTISTAS MOSTRAM EVIDÊNCIA DE COLISÃO DE DOIS UNIVERSOS

UNIVERSO: Nasa encontra gigantesca mão cósmica no espaço

Michio Kaku: por que ele é considerado o maior físico teórico do mundo

Exibições: 400

Comentar

Você precisa ser um membro de Ignotus Rede Social para adicionar comentários!

Entrar em Ignotus Rede Social

Comentário de Roseane Valle em 23 abril 2014 às 15:06

Grata pela postagem

Comentário de Ismael Mateus em 22 abril 2014 às 10:05

Pois para mim ele sempre esteve e está em expansão, dado que o próprio Lavousier disse: "Na natureza nada se perde, nada se cria tudo se transforma". E isto é o básico da matéria, em plena e constante transformação. Só Deus é imutável, se não não seria Deus! O Principio o Meio e o Fim de Tudo é a Plena Transformação. A Evolução Constante, do Nada ao Todo inteligente Deus; imatérial material, energia fluido luz o Nada e o Tudo, de onde saímos e de onde tudo sai sem ter saído nunca! Ainda que estejamos dentro dos nossos universos. Porque o universo vezes os universos é Ele.

Comentário de Ismael Mateus em 22 abril 2014 às 9:48

© 2020   Criado por Edson Luiz Pocahi.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço