GOOGLE SITE TRANSLATOR

Registre-se em 1 minuto!

PUBLICIDADE

Mensagens de blog

Curta Nossa Página no Facebook

AS PALAVRAS NÃO VOLTAM VAZIAS. CUIDADO!

 

Se conhecêsseis o poder de vossas palavras, teríeis grande cuidado nas vossas conversas. Bastar-vos-á observardes a reação de vossas palavras para verificardes que elas “não vos voltam vazias.” Por meio das palavras que pronunciais, estais estabelecendo continuamente leis para vós mesmos.

Conheci um homem que dizia constantemente: “Sempre perco o trem. Ele parte invariavelmente no momento em que chego à estação.”
Tinha ele uma filha que costumava dizer: “Sempre alcanço o trem. Ele chega sempre no momento em que também chego.”
Cada um deles tinha estabelecido uma lei para si mesmo - uma lei de insucesso e outra de êxito.

É de fatos semelhantes que vem a força das superstições. A ferradura ou o
pé de coelho não tem poder algum; porém, se afirmardes e acreditardes que esses objetos atraem uma “posição feliz”, isso criará em vossa mente subconsciente a expectativa do bem, a qual produzirá o resultado.

Entretanto, tenho notado que, depois que o indivíduo progrediu espiritualmente
e adquiriu o conhecimento de uma lei superior, isso “não mais dá certo.” Com efeito, atingido certo ponto, vossa alma não pode mais voltar atrás e não encontra mais apoio nas “imagens gravadas!” Um professor de esoterismo refere o seguinte caso:

“Dois homens que freqüentavam a minha escola tiveram grande êxito em negócios, durante vários meses; porém, repentinamente, sofreram uma grande queda. Procuramos analisar a situação e descobri que, em lugar de fazerem suas afirmações e esperarem de Deus o êxito e a prosperidade, tinham comprado um “macaquinho da sorte.” Expliquei-lhes então: “Compreendo o que sucedeu: confiastes no macaquinho da sorte e não em Deus. Jogai fora esses macaquinhos e apelai para a lei do perdão, pois tendes o poder de perdoar ou neutralizar os vossos erros.”

“Resolveram desfazerem-se dos macaquinhos e, desde então, tudo retomou
o caminho do progresso. Isso não quer dizer que seja necessário vos despojardes
de todos os “objetos de sorte”, ferraduras e talismãs, mas, sim reconhecerdes que esses objetos apenas representam o único Poder, que é Deus, e servem somente para dar-vos um sentimento de expectativa.”

O mesmo esoterista refere que se encontrava, um dia, ao lado de uma senhora, cuja situação parecia desesperadora. Ao atravessarem uma rua, ela encontrou uma ferradura e encheu-se de alegria e esperança, dizendo que Deus lhe havia enviado aquele objeto para conservar-lhe a coragem. Com efeito, naquele momento, era a única coisa que podia gravar-lhe na consciência uma boa impressão. Assim a sua esperança tornou-se fé e ela, finalmente, conseguiu um admirável resultado.
Notai a diferença de atitude mental. Os dois homens as confiaram nos
macaquinhos, ao passo que a senhora tomou o aparecimento da ferradura como um sinal de que Deus a protegia.

Às vezes, tereis grande dificuldade em vencerdes a tendência a atribuir a
certas coisas o poder de prejudicar-vos. Parecer-vos-á que certas circunstâncias ou certos indivíduos invariavelmente vos trarão desilusões em vossos planos. Entretanto, isso é uma impressão de vosso subconsciente, e para fazer-lhe perder
tal impressão é preciso fazerdes amiúde a afirmação seguinte: “Não existem dois
poderes; só há um Poder: Deus. Portanto, não existem desilusões e o que aconteceu denota boa surpresa.”

Notareis imediatamente uma mudança e as surpresas felizes começarão a apresentar-se. Uma senhora que tinha grande temor das escadas disse que nada podia fazê-la
descer uma escada. Disseram-lhe: “Se tiverdes medo, estareis cultivando a crença de dois poderes, o bom e o mau, e não de um só. Como Deus é absoluto, não pode haver poder contrário, a não ser que estabeleçais pessoalmente uma lei
no mal.

Para mostrardes que credes somente num poder - Deus - e que não há poder ou realidade no mal, descei a primeira escada que encontrardes.”

Logo depois, ela se dirigiu a um banco. Queria abrir uma caixa no depósito subterrâneo e, para chegar a ele, era preciso descer uma escada. Tentou fazê-lo, o medo foi mais forte e fê-la voltar para trás. Entretanto, ao chegar à rua, lembrou-
se das palavras que ouvira, e decidiu-se a voltar e descer a escada, enfrentando o falso leão que se achava em seu caminho.

Esse foi um momento decisivo de sua vida, pois o medo das escadas a conservara durante muitos anos em limitação. Desceu ao subterrâneo e a escada deixou de existir ali para perturbá-la!
Isso acontece muitas vezes com os indivíduos. Por isso, se quiserdes executar uma coisa que receais fazer, procurai vencer esse temor. Esse modo de agir é uma aplicação da lei da não-resistência. Se enfrentardes sem temor uma situação, desaparecerá a dificuldade que representa.

Pelo contrário, o medo atrai o obstáculo que a coragem afasta.
Por conseguinte, as forças invisíveis agem sempre a favor daquele que está contínua e corajosamente avançando para a frente, embora ele não o saiba. Em virtude das forças vibratórias das palavras, quando o indivíduo fala alguma coisa, começa a atraí-la para si. As pessoas que falam continuamente de moléstias, invariavelmente as atraem.

Quando tiverdes alcançado o conhecimento da verdade, nunca mais deixareis de ter
muito cuidado com as vossas palavras. Uma antiga sentença diz que o homem só devia falar para três objetivos: curar, abençoar ou prosperar. Com efeito, o que falardes dos outros, também falarão de vós e o que desejardes para os outros, também se apresentará em vossa existência. Se desejardes má sorte para alguém, incontestavelmente a atraireis para vós. Se desejardes ajudar alguém a triunfar, estareis desejando e facilitando o vosso próprio triunfo.

Podeis renovar e transformar o vosso corpo por meio da palavra proferida e
da visão clara da forma que desejais possuir, expulsando completamente de vossa consciência a moléstia.

O metafísico sabe que todas as moléstias têm seus correspondentes mentais
e que, para curar o corpo, é preciso, primeiramente, curar a alma.
A alma é vossa mente subconsciente, que precisa ser “salva” dos pensamentos errôneos. 

TEXTO:Do livro Alegria e Triunfo, de Lourenço Prado  

 

Exibições: 426

Comentar

Você precisa ser um membro de Ignotus Rede Social para adicionar comentários!

Entrar em Ignotus Rede Social

Comentário de Ieldo Galvao Guimaraes em 9 junho 2014 às 17:21

"Para curar o corpo, é preciso, primeiramente, curar a alma." Esta é a síntese perfeita deste texto. O problema é : como curar a alma ??

Comentário de Solange Cristina Lopes em 4 junho 2014 às 11:49

realmente é um texto muito bom, atraímos tudo que pensamos, por isso só devemos ter em mente coisas boas.

Comentário de ERALDO BORIS em 3 junho 2014 às 22:22

gostei muito....

Comentário de Edson Luiz Pocahi em 3 junho 2014 às 15:22

Muito bom o texto, obrigado por compartilhar Mideli!

© 2020   Criado por Edson Luiz Pocahi.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço